Projetos

Filosofia

Grupo de Pesquisa do CNPq: "Arte, política e autonomia"

Projeto ERA

Instituição-sede: PUC-Rio

Líder: Prof. Danilo Souza Filho (PUC-Rio)

Link: www.era.org.br


Grupos de pesquisa (todos certificados pelo CNPq):

 

1. Arte, Política e Autonomia

 

Líder: Prof. Pedro Duarte (PUC-Rio, Filosofia). Integrantes: Sérgio Martins (PUC-Rio, História) e Luiz Camillo Osorio (PUC-Rio, Filosofia)

 

O grupo de pesquisa “Arte, política e autonomia” visa discutir desafios históricos da autonomia artística em conjunção com a dimensão política da sua produção, circulação e recepção tanto modernas quanto contemporâneas. Sua premissa de trabalho é que a dicotomia entre a arte autônoma e uma arte política, sobretudo quando tomada como mutuamente excludente, determina de modo problemático os caminhos da reflexão crítica e teórica acerca das artes na contemporaneidade. Nesse sentido, o grupo tem um vetor de desconstrução de diversos preconceitos simplificadores a respeito das concepções modernistas de autonomia estética – e de engajamento político. Trata-se, neste caso, de destacar que a especificidade da arte – por si mesma – não a desvincula necessariamente das práticas sociais. Pelo contrário, serão enfatizadas contribuições de teoria e crítica de arte, da filosofia e da própria prática artística para uma estética relacionada com a política de modo complexo e experimental. Isso define o trabalho conceitual desta pesquisa.

Há, ainda, um trabalho histórico. Neste caso, trata-se de explicitar que a operação dicotômica que separou arte e política é muitas vezes o signo teórico precipitado para sintetizar uma série de tomadas de posição polêmicas ocorridas no interior do Modernismo, cujo valor estratégico é frequentemente confundido, no entanto, com uma ontologia do valor fixo e eterno da arte – quando se tratava somente de uma nota típica das vanguardas. O contexto contemporâneo das últimas décadas, longe de simplesmente permitir descartar essas categorias conceituais e tensões históricas, exige que elas sejam retomadas – mas em sua devida historicidade, já que seu repertório deve se defrontar com o acirramento de contradições sociais, culturais e políticas da época que emerge dos tempos modernos.

O grupo de pesquisa “Arte, autonomia e política” alia portanto o exame filosófico, teórico, histórico e crítico da arte em sua relação com a sociedade, marcado pelo desafio de uma autonomia que signifique não mera independência, mas vínculo livre de pensamento. Para tanto, dedicará atenção especial, mas não exclusiva, à tradição oriunda do materialismo histórico e da teoria crítica – em autores como Walter Benjamin, Theodor Adorno, entre outros, e seus intérpretes mais atuais; à discussão história do “regime estético” da arte, desde as origens no Romantismo alemão no fim do século XVIII até as reflexões mais recentes de Jacques Rancière, por exemplo; ao pensamento artístico moderno e contemporâneo; e, também, à própria análise crítica e histórica de obras de arte, levando em conta inclusive as especificidade do cenário brasileiro.

 

1.2. Lógica, Linguagem e Pensamento

 

O grupo, liderado pelos Profs. Ludovic Soutif (PUC-Rio) e Marco Ruffino (UNICAMP), reúne pesquisadores docentes e discentes, principal mas não exclusivamente dos departamentos de filosofia da PUC-Rio e da UNICAMP, que atuam em temas afins na interface entre filosofias da lógica, da linguagem e da mente. Visa uma maior integração entre projetos de pesquisa em andamento com forte potencial de impacto nos âmbitos nacional e internacional. A integração deve se dar pela:1. organização de/participação em eventos (palestras, minicursos, workshops, congressos); 2. participação regular dos membros docentes em bancas de conclusão de trabalhos discentes e em comissões julgadoras de concursos docentes; 3. publicação de textos (artigos, livros, capítulos de livro) autorais e co-autorais em veículos de reconhecida qualidade.

 

1.3. INCog (Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Neurociências e Cognição)

 

O grupo, liderado pelos Prof. Jesus Landeira-Fernandez (PUC-Rio, Psicologia) e Cilene Aparecida Rodrigues (PUC-Rio, Letras), envolve pesquisadores dos seguintes departamentos da PUC-Rio: Educação, Filosofia, Letras, Medicina e Psicologia. Visa:1. promover a integração entre esses departamentos diante da nova cartografia das áreas de conhecimento que se vem delineando desde a 2ª metade do século XX, no tratamento de questões pertinentes a conhecimento, emoção, linguagem e neurociências;2. despertar o interesse de alunos de graduação e pós-graduação em uma formação interdisciplinar que focalize processos cognitivos, sua relação com estados emocionais, questões relativas à língua/linguagem, discussões concernentes à arquitetura da mente e aspectos de ensino/aprendizagem de forma ampla;3. complementar a formação de profissionais nas áreas envolvidas para atuação em pesquisa integrada;4. prover as bases para a criação de um programa de pesquisa interdisciplinar, fundado na experiência do INCog;5. estabelecer um centro de referência no Brasil e na América-Latina e atrair pesquisadores com reconhecimento internacional para a universidade. O histórico dos eventos organizados pelo INCog e programados para 2018 se encontram no seguinte endereço: http://incog.com.br

 

1.4. Materialismos: Ontologia, Ciência e Política na Filosofia Contemporânea

 

O grupo, liderado pelo Prof. Dr. Rodrigo Nunes (PUC-Rio), tem por objeto a chamada “virada ontológica” ocorrida na filosofia e na antropologia na última década, bem como os antecessores históricos deste recente renascimento do interesse num tipo de especulação que se poderia chamar de “metafísica” ou “ontológica”, e que durante a maior parte do século XX julgou-se inteiramente superada. Reúne pesquisadores de nove universidades diferentes e dá continuidade na PUC-Rio a trajetória do grupo "Materialismos: Correlacionismo, Ciência e Ontologia na Filosofia Contemporânea", que funcionou na PUC-RS entre 2011 e 2013.

 

1.5. Estudos e Pesquisas em Filosofia da Tecnologia

 

O Grupo, liderado pelo Prof. Edgar Lyra (PUC-Rio), tem atualmente duas linhas de pesquisa: 1. Aspectos Ontológicos da Tecnologia: a tecnologia hoje perpassa e tem enorme poder de condicionamento sobre todas as representações, atividades e hábitos humanos. Está longe de ser bem compreendido, todavia, que lógica ou essência rege os atuais ditames tecnológicos. É o propósito desta linha de pesquisa fazer com esses ditames apareçam com maior nitidez, partindo tanto da análise direta das diversas manifestações tecnológicas, quanto dos autores que se ocupam do tema. 2. O Lugar da Interrogação Filosófica na Era Técnica: a pesquisa se organiza em torno do lugar do pensamento filosófico num mundo progressivamente mais técnico, palco de transformações cada vez mais substanciais e velozes, possivelmente irreversíveis e imprevisíveis em seus desdobramentos. Ocupa-se, mais pontualmente, do possível desenvolvimento de interfaces entre a filosofia e a sociedade contemporânea, visando à irrigação desta última com a necessária interrogação sobre o sentido do seu atual desenvolvimento.

 

2. Projetos de pesquisa financiados

 

2.1. Projeto de cooperaçao internacional CAPES-COFECUB (Edital nº16/2015) com o Departamento de Filosofia da Université de Lyon III. O projeto, intitulado: "Filosofia e Computação: Interações Contemporâneas", é coordenado pelos Profs. Luiz Carlos Pereira (equipe brasileira) e Jean-Baptiste Joinet (equipe francesa). Foi aprovado em 2016 e teve início em 2017. O projeto está organizado em torno de questões filosóficas e epistemológicas sobre a ciência da computação e o processamento de informações (computação teórica). As disciplinas mobilizadas por esse programa interdisciplinar de pesquisa são, principalmente, a Filosofia (epistemologia e filosofia da informática), a Ciência da Computação Teórica e a Matemática.

 

2.2. Projetos de pesquisa CAPES-Print. Em 2018 o projeto submetido pela PUC-Rio no âmbito do Programa Institucional de Internacionalizaçao (edital n°41/2017) da CAPES foi aprovado por um periodo inicial de 2 (dois) anos, com possibilidade de renovação por outro período de 2 (dois) anos. A concessão aprovada inclui recursos para missões de trabalho, bolsas de estudo e recursos de material de consumo no valor de R$ 21,832,972.80 para os 4 (quatro) anos de projeto. Os projetos de pesquisa submetidos pelo Departamento de Filosofia e contemplados com financiamento pelo Comitê Gestor do Projeto CAPES-PRINT da PUC-Rio são estes:

 

(I) "Arte, autonomia e politica" (2018-2022), coordenado pelo Prof. Pedro Duarte. Os integrantes (nacionais e estrangeiros) do projeto sao: Pedro Duarte (Filosofia PUC-Rio), Luiz Camillo Osorio (Filosofia PUC-Rio), Sergio Martins (História PUC-Rio), Ed Krcma (University of East Anglia/UK), Kaira Cabanas (University of Florida/EUA), David Ferris (Boulder/EUA), Nuno Crespo (Universidade Católica do Porto/PT) e Michael Asbury (University of the Arts/Londres).

 

(II) "Política e pensadores em rede: novos movimentos sociais, instituições e governança" (2018-2022), coordenado pelos Prof. Maxime Rovere (até março de 2019) e Rodrigo Nunes (a partir de março de 2019). Os integrantes (nacionais e estrangeiros) do projeto sao: Maxime Rovere (Filosofia PUC-Rio), Rodrigo Nunes (Filosofia PUC-Rio), Victor Ximenes Marques (Filosofia UFABC), Jimena Solé (Filosofia Universidad de Buenos Aires).

 

(III) "Lógica, Filosofia e Computação" (2018-2022), coordenado pelo Prof. Luiz Carlos Pereira. Os integrantes (nacionais e estrangeiros) são: Luiz Carlos Pereira (Filosofia- PUC-Rio), Renato Matoso (Filosofia- PUC-Rio), Ludovic Soutif (Filosofia- PUC-Rio), Edward Hermann Haeusler (Informatica- PUC-Rio), Jean-Baptiste Joinet (Université Lyon III-Jean Moulin), Alberto Naibo (Université Paris I-Panthéon Sorbonne, IHPST), Peter Schröder-Heister (Universität Tübingen), Thomas Piecha (Universität Tübingen), Luca Tranchini (Universität Tübingen), Eduardo Barrio (CONICET, SADAF), Denis Perrin (Université Grenoble Alpes), Sébastien Gandon (Université Clermont Auvergne).

 

2.3. Projeto "Rumos do ceticismo moderno", do Prof. Danilo Marcondes. Conta com o apoio financeiro da FAPERJ na modalidade auxilio à pesquisa. Resumo: Richard Popkin mostrou em sua História do Ceticismo de Erasmo a Spinoza (2000, capítulo 2) que a retomada do ceticismo antigo no período moderno foi uma das forças propulsoras da formação do pensamento moderno. Essa retomada leva, por sua vez, à formulação de um ceticismo moderno com características bem distintas do antigo. A interpretação da transmissão e recepção do ceticismo é central para o entendimento do conceito de ceticismo moderno e da própria modernidade em suas várias dimensões, histórica, epistemológica, político-jurídica e teológica. Esse projeto consiste no exame desse processo e na análise dessas distinções. Com base nesse exame histórico discutiremos se o ceticismo ainda pode ser uma filosofia viável e relevante para o pensamento contemporâneo. Dentre os vários aspectos do ceticismo moderno, a dúvida tem sido considerada uma das características mais centrais, pode-se dizer mesmo definidora.  O ponto de partida é um contraste inicial entre dúvida moderna e existência ou não de “dúvida” no pensamento antigo. Nossa hipótese é a de que apesar de ser encontrada em outros pensadores, a “dúvida” é sempre referida à filosofia de Descartes. Chamo de “paradoxo de Descartes” o fato de que embora um adversário declarado dos céticos, Descartes acabou por ser considerado o formulador de um ceticismo entendido por muitos como irrefutável, sobretudo devido à sua formulação da dúvida. Discutiremos, portanto, as diferentes e mesmo antagônicas interpretações da dúvida cartesiana, levando em conta seus desdobramentos posteriores. A recepção da dúvida cartesiana e seus desdobramentos em argumentos posteriores como outras mentes e a existência do mundo externo serão examinados nesse sentido.

 

2.4. Projeto "O significado dos expressivos" (n° de processo 312815/2017-4), do Prof. Ludovic Soutif. Conta com o apoio financeiro do CNPq (Bolsa PQ 2), desde 2018. Resumo: A palavra "expressivos" abrange uma diversidade heterogênea de itens lexicais, ferramentas morfológicas (interjeições, epítetos e adjetivos atributivos expressivos, apelidos, diminutivos, insultos raciais e étnicos, termos derrogatórios) e construçoes sintaticas cuja função é externar as atitudes emotivas do falante perante os acontecimentos do mundo. Assume-se corriqueiramente que os expressivos tem um significado estável (de um contexto de proferimento a outro) e socialmente bem estabelecido. A questão que se coloca a respeito é: qual seria a melhor forma de explicá- e representá-lo formalmente? O presente projeto investiga alguns modelos explanatórios proeminentes sobre o significado dos expressivos (o das implicaturas convencionais, o do potencial de alteração contextual, a teoria da pressuposição expressiva, o modelo do viés, o multiproposicionalismo) e esboça uma alternativa pautada em duas ideias: i) a explanação da diferença entre expressivos e descritivos deve se dar em termos de uma diferença de usos em vez de uma diferença de classes semânticas; ii) contra a tendência (na literatura) a equipará-los, é preciso manter a distinção entre performativo e conteúdo expressivo.

 

2.5. Projeto "Mundos sob os fins do mundo" (processo n°303135/2017-4), da Profa. Déborah Danowski. Conta com o apoio financeiro do CNPq (Bolsa PQ 1D), desde 2018. Resumo: Todo pensamento ou imaginação de um fim não absoluto do mundo requer, além do pensamento mítico inverso de um começo (empírico ou transcendental) desse mundo que acaba, a busca, por parte do sujeito ou povo desse mesmo mundo, das condições de uma saída e uma separação. Essa saída e separação se dão sempre como um devir-outro-menor-imperceptível, que o torne capaz de incessantemente recomeçar como que nos subterrâneos desses fins de mundo, nos interstícios do mundo desertado, para criar um outro, sempre outro, sem fim, ou até que tudo termine. O objetivo deste projeto é procurar pensar o que pode significar esse fim, esse devir e esse recomeço (conceito que deve ser fortemente diferenciado do de “salvação”) pela referência não apenas a trabalhos filosóficos, antropológicos, historiográficos e científicos, mas também a algumas obras de ficção.

 

2.6. Projeto "Juízo, crítica e curadoria: deslocamentos da arte na era dos museus", do Prof. Luiz Camillo Osorio. Conta com o apoio financeiro do CNPq (Bolsa PQ 2), desde 2015. Resumo: a cada dia surge um museu novo no planeta.  As feiras de arte e bienais multiplicam-se por toda parte. Em um mundo assolado por uma crise financeira global, a arte se mostra um ativo com taxas de retorno exorbitantes. Será que a arte resiste a esta captura sistemática, mantendo alguma potência estética e insubmissão política? Será que ela ainda é capaz de produzir “ideias estéticas”? Será que ela resiste minimamente aos parâmetros absolutos do mercado? Ainda faz sentido discutirmos ou defendermos alguma autonomia para a arte e a experiência estética? O que pode a arte?  As relações entre estética e política acompanharam a história da arte moderna, seja pelas dificuldades relacionadas ao ajuizamento das obras, seja pela recusa recorrente, por parte da arte, às formas de visibilidade e sociabilidade vigentes. Nosso objetivo será de analisar as condições do ajuizamento, da crítica e seus desdobramentos curatoriais em uma época na qual a arte está inserida irreversivelmente nos museus – mesmo quando atuam fora de seus muros – e estes parecem a serviço da lógica espetacular, do consumo desenfreado e da indústria cultural e do turismo. Como resistir a esta captura e dar à arte alguma liberdade experimental? Como articular arte com uma educação estética e política no interior dos museus?

 

2.7. Projeto "Novas perspectivas para o intuicionismo: o ecumenismo e o polimorfismo atômico generalizado" (processo n°305924/2017-6), do Prof. Luiz Carlos Pereira. Conta com o apoio financeiro do CNPq (bolsa PQ 1B), desde 2018. Resumo: A lógica intuicionista é, sem dúvida alguma, uma das lógicas mais investigadas e desenvolvidas no domínio das lógicas não-clássicas. O objetivo principal do presente projeto é apresentar um novo olhar sobre essa lógica que, de um certo ponto de vista, pode ser considerada a principal rival da lógica clássica. Esse objetivo principal organiza-se em torno de dois eixos de investigação: [1] o desenvolvimento da semântica e da teoria da prova de sistemas ecumênicos, i.e., de sistemas que comportam a convivência pacífica da lógica intuicionista com outras lógicas; [2] a extensão da aplicação do polimorfismo atômico a operadores definidos por esquemas abstratos de regras de introdução e eliminação.

 

2.8. Projeto "Versão reformulada do livro Logical Forms", do Prof. Oswaldo Chateaubriand. Conta com o apoio financeiro do CNPq (bolsa PQ 1A), desde 2014. Resumo: Meu projeto de pesquisa para este e os próximos anos deriva das pesquisas apresentadas em meus livros Logical Forms. Part I: Truth and Description (2001) e Logical Forms. Part II: Logic, Language, and Knowledge (2005). Vários temas tratados nestes livros merecem um desenvolvimento maior, e alguns deles me ocuparam nos últimos anos e estão me ocupando presentemente. (1) Teoria das descrições. No capitulo 3 de Logical Forms, apresentei uma nova teoria de descrições definidas que combina idéias de Frege e de Russell. Nos artigos “Descriptions: Frege and Russell combined” (2002) e “Deconstructing “On Denoting”” (2005), elaborei alguns aspectos da teoria. Também em algumas conferências, especialmente na conferência “A Theory of Descriptions”, apresentada no Logic Colloquium na Universidade da Califórnia em Berkeley em 2006, comecei a elaborar uma extensão da teoria para descrições plurais, que é um problema bastante complicado que pretendo desenvolver em mais detalhe. (2) Sentido, referência e conotação. Nos capítulos 11 e 13 de Logical Forms, apresento uma teoria dos sentidos inspirada em Frege, que combino com idéias de Kripke sobre referência e com idéias descritivistas de Russell e outros sobre conotação. Tenho elaborado estas idéias em varias conferências nos últimos anos e também no artigo “The truth of thoughts: variations on Fregean themes” (2007, no prelo). Uma continuação deste artigo intitulada “Sense, reference, and connotation”, está planejada para ser publicada em Manuscrito ainda este ano. (3) Predicação, verdade, falsidade e negação. Nos capítulos 1, 6 e 12 de Logical Forms, apresento uma teoria da verdade como denotação de estados de coisas e uma teoria da predicação segundo a qual toda sentença tem estrutura predicativa. Isto permite uma caracterização da falsidade de uma sentença como verdade da negação predicativa desta sentença. (4) Discussão do segundo volume de Logical Forms. Em 2004 foi publicado um número especial de Manuscrito (volume 27 -1) com 11 artigos críticos sobre o primeiro volume de Logical Forms e minhas respostas detalhadas. Está em preparação um outro número especial de Manuscrito (a ser publicado em início de 2008) sobre o segundo volume de Logical Forms, com aproximadamente 20 artigos críticos e minhas respostas. (5) Filosofia da matemática.Questões importantes de filosofia da matemática são tratadas em vários capítulos de Logical Forms, especialmente os capítulos 9, 10, 19, 20, 21 e 25, e também no artigo “Platonism in mathematics” (2005). Pretendo desenvolver estas idéias em mais detalhe em um volume complementar aos volumes de Logical Forms, no qual já estou trabalhando.

 

 

Psicologia

Grupo de Pesquisa do CNPq: INCog (Grupo de Pesquisa Interdisciplinar em Neurociências e Cognição)

Instituição-sede: PUC-Rio

Líder: Prof. Jesus Landeira-Fernandez (PUC-Rio)

Link: dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/1195400271274188

 

Arquitetura

Urbanismo: formação e prática

Urbanismo: formação e prática é um projeto de ensino e extensão que tem como objetivo contribuir para a formação de quadros técnicos e para a elaboração de instrumentos legais com a perspectiva de impactar positivamente a gestão local de municípios brasileiros na elaboração ou revisão dos respectivos planos urbanísticos, a partir de um enfoque interdisciplinar, sistêmico e participativo que envolve quatro linhas principais de atuação: adaptação à mudança climática, sistema de espaços livres, mobilidade urbana e habitação. Essas linhas de atuação constituem temas urgentes nas agendas das cidades e carecem de referências teóricas e práticas que valorizem métodos de intervenção que possam gerar políticas públicas intersetoriais adequadas. Cabe apontar que os aspectos legais e administrativos, socioeconômicos, de uso e ocupação do solo, de energia e saneamento ambiental devem perpassar todas as linhas temáticas estruturais, resultando em análises transversais que permitirão originar objetivos conjuntos para orientar as diretrizes e estratégias gerais e dentro dos quatro temas. O Curso, assim como o projeto de extensão, propõe a "adoção" de um município escolhido a partir de critérios pré-definidos, para ser tratado como estudo de caso na elaboração coletiva de estudos e análises técnicas, bem como para a definição de diretrizes, estratégias e ações que fundamentem a construção/revisão participativa do Plano Diretor Municipal, respectivos planos setoriais e leis complementares. O resultado final dos estudos é doado ao município "adotado". O Curso tem duração de 18 meses e o projeto de extensão se desenvolve por 12 meses após a conclusão do curso para a consolidação dos planos estruturados durante o primeiro, junto ao município. Dada a natureza interdisciplinar do planejamento de cidades, o corpo docente envolvido contempla professores e pesquisadores de diversas áreas e subáreas do conhecimento: Antropologia, Arquitetura, Biologia, Cartografia, Direito Ambiental, Direito Urbanístico, Geografia Física, Geografia Humana, História, Mobilidade Urbana, Paisagismo, Planejamento Urbano, Projeto Urbano, Recursos Hídricos e Saneamento.

 

Letras

Janela de Ideias

 

GPPAL

O grupo de pesquisa do LAPAL (GPPAL) desenvolve trabalhos de natureza experimental em Processamento Linguístico por adultos e em Aquisição da Linguagem por crianças desde os primeiros anos de vida.

Para conhecer o trabalho desenvolvido no Laboratório, visite a página http://www.lapal.letras.puc-rio.br/

 

Teologia

 

Grupo de Pesquisa do CNPq: Diversidade Sexual, Cidadania e Religião

Projeto: Diversidade Sexual, Cidadania e Religião

Instituição-sede: PUC-Rio

Líder: Luís Corrêa Lima

Link: www.diversidadesexual.com.br

 

Grupo de Pesquisa do CNPq: Análise Retórica Bíblica Semítica

Projeto: Este é um grupo ecumênico, que busca realizar estudos para aprofundar-se no conhecimento do Método da Análise Retórica Bíblica Semítica (ARBS), a partir de estudos pessoais e em grupo, com vistas à publicação de artigos e livros na área, que deverá ajudar e muito no conhecimento e na partilha do conhecimento bíblico a partir do emprego deste método ainda pouco conhecido e usado no Brasil. Um método ou abordagem é sempre uma tentativa para se ler, entender e compreender um texto. Porém, nenhum método científico para o estudo da Bíblia está à altura de corresponder à riqueza total dos textos das Sagradas Escrituras. Por isso, o valor de, além da excelente ferramenta que é o método histórico-crítico, conhecer também outras ferramentas que nos ajudem na interpretação dos textos sagrados, visto que um único método não pode pretender ser suficiente a tudo e a todos os gêneros de literatura dos textos sagrados.

Instituição-sede: Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (PUC-Rio - Teologia)

Líder: Waldecir Gonzaga

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/faces/home.jsf?faces-redirect=true

 

Grupo de Pesquisa do CNPq: Memória e Culto na Literatura Bíblica

Projeto:

Instituição-sede: UERJ (Departamento de História)

Líder: Edgard Leite Ferreira Neto; Maria de Lourdes Corrêa Lima

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/301244

 

Grupo de Pesquisa do CNPq: Grupo Moradas de Estudos Místicos

Projeto:  O nome “Moradas” é inspirado na obra “Castelo Interior ou Moradas”, de Santa Teresa de Ávila . Reúne um grupo de pesquisadores de perfil ecumênico, articulado em torno à linha de pesquisa cujos objetivos são:

- investigar as conexões entre a mística, a espiritualidade e a teologia cristãs, na atualidade e ao longo da história, considerando-se a mística em perspectiva integradora e humanizadora;

- integrar os espaços ético, estético, interpessoal e interior na reflexão sobre a mística;

- aprofundar na vida e obra de Santa Teresa de Ávila;

- pesquisar interpretações da mística, em perspectiva interdisciplinar e em múltiplas linguagens, no contexto sociocultural moderno e pós-moderno.

Moradas vem se dedicando à pesquisa, publicações, organização de eventos acadêmicos para a divulgação de seus trabalhos. Atualmente, trabalha em torno da relação entre mística, corpo e arte.

Instituição-sede: PUC-Rio

Líder: Lúcia Pedrosa de Pádua

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/35073

 

Grupo de pesquisa: Tradução e Interpretação do Antigo Testamento (TIAT)

Instituição: PUC/SP

Líder(es): Matthias Grenzer, Leonardo Agostini Fernandes

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/faces/consulta/consulta_parametrizada.jsf



Artes & Design

Projetos (http://www.ctch.puc-rio.br/br/texto/21/projetos)

Estudos em Design Arte e Natureza

Líder do grupo – QP DAD: Carlos Eduardo Felix da Costa

 “MÍNIMO”: Projeto de pesquisa com Instituto República (RJ) em parceria com a Secretaria Municipal de Educação da Cidade do Rio de Janeiro para elaboração de kits teatrais que estimulem o surgimento de grupos de teatro nas escolas da rede municipal.

Em 2018, comissionamento pela HaundenschildGarage (San Diego, USA) para execução de projeto na sede da fundação. A instituição detém umas das maiores coleções de arte contemporânea privada em comodato com o Museu de Arte Contemporânea de San Diego.

 

Docente contemplado com a Bolsa de Produtividade PUC-Rio para professores do quadro principal recém contratados. O projeto de pesquisa “Marcos Negativos” envolve alunos de graduação e pós na área de Arte e Design na criação de esculturas parametrizadas com dados coletados em estações meteorológicas.

Criação dentro do "Encontros no DAD" o projeto "Arte, Design e Aproximações". Palestras realizadas no Departamento de Artes e Design da PUC-Rio.

 “8ª Mostra Bosque PUC Cena Experimental”: proponente e vencedor do edital interno da universidade para a realização do evento do Curso de Artes Cênicas da PUC-Rio.

Publicação do artigo: “Revolução sem Dança é Como se Revolução Não Tivesse Havido”: artigo publicado na Revista Concinnitas da UERJ.  http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/concinnitas/index ISSN: 1981-9897

Publicação do artigo “O Desenho e o Design de Moda: da Ideia ao Produto” apresentado no XIII Seminário do Programa em Pós Graduação em Desenho Cultura e Interatividade e VI Colóquio Internacional sobre Desenho da Universidade Estadual de Feira de Santana.

Durante o ano de 2018, participação em diversas exposições no cenário nacional e internacional, assim como uma residência artística internacional:  Wrong Bienal - Digital Provocateur; Quadrivium - 8 patas Projeto Cavalo; Pequenas Escalas; Mobilizando Afectos: Coparticipación e Inserción Local, Tres proyectos Artísticos; Matrix do Tempo Real; Coleções no Mube: Esculturas para ouvir; Monumental Negative – A Family Portrait.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/328307

Ergodesign e Usabilidade Sistemas de Informação e do Ambiente Construído

Líder do grupo: Claudia Renata Mont'Alvão Bastos Rodrigues

Participação em eventos de Ergonomia, Design, Engenharia de Transportes e Arquitetura para difusão e integração entre as áreas. Pesquisas de iniciação científica e pós-graduação visando a interação entre as áreas de conhecimento envolvidas.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/12531

Laboratório de Gestão em Design

Líder do grupo – QP DAD: Claudio Freitas de Magalhães

Publicação em 1997 do Livro Design Estratégico (Programa Brasileiro do Design); Formatação dos critérios do Prêmio CNI Gestão do Design (2002); Desenvolvimento do Curso de Gestão do Design Têxtil e do Vestuário em 1997 ( SENAI/SETIQT); Formação e desenvolvimento do Centro de Design Rio; Desenvolvimento de Curso de Especialização em Design de Joias em 1999 em parceria com AJORIO; Criação de Incubadora em Design de Joias em 2004 (Edital do SEBRAE); Instalação do INOTEC em 2006, Núcleo de Implementação de Novas Tecnologias na Criação e Produção de Joias (Ação Transversal - Cooperação ICTs / Empresas - 2005); Desenvolvimento e valorização do produto e da política de marca da COOPA-ROCA; Criação do Núcleo de Experimentação Tridimensional (NEXT ¿ www.next.dad.puc-rio.br), junto com o Professor Jorge Lopes dos Santos; Colaboração como membro do Conselho Consultivo do Programa Rio+Design da Secretaria de Desenvolvimento Econômico do Estado do Rio de Janeiro.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/312204

Grupo Barthes: grupo de estudos sobre corpo, gênero, subjetividade e cidade

Líder do grupo – QP DAD: Denise Berruezo Portinari

Desde 2004, o trabalho deste grupo de pesquisa investiga caminhos para refletir sobre a produção da subjetividade e as formas de subjetivação em inúmeras práticas contemporâneas  sejam no design, na arquitetura, na arte, na psicanálise, na política ou em outras experiências que tensionam as relações entre corpo, gênero, sexualidade. A heterogeneidade do grupo reivindica a importância de um pensamento indisciplinado na construção de conhecimento. Este pensar indisciplinado, com referência ao pensamento e obra de Roland Barthes, caracteriza-se ainda pelo livre trânsito de teorias, pelas sobreposições de práticas e pela convergência entre produção científica e criação. O Grupo Barthes integra o Laboratório da Representação Sensível (LaRS), do PPG Design do Departamento de Artes e Design da PUC-Rio, e congrega estudantes e pesquisadores de diferentes áreas e instituições. As suas atividades envolvem encontros quinzenais para a discussão de textos e pesquisas de seus integrantes.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/21551

Grupo de Pesquisa Design na Leitura de Sujeitos e Suportes em Interação

Líder do grupo – QP DAD: Jackeline Lima Farbiarz

O Grupo continua as pesquisas do Grupo de estudos interdisciplinar Design e formação de leitores em contextos pedagógicos e culturais (2008). Seus produtos são: Especialização - O Lugar do Design na Leitura: multimeios, interatividades e visualidades (2008); I, II, III, IV e V Simpósios sobre o livro didático de língua materna e estrangeira (2007, 2008, 2010, 2013 e 2015), I,II III e IV Simpósios sobre recursos e materiais didáticos (2008, 2010, 2013, 2015), I Congresso TEIAS - Transformações no Ensino pela Inclusão para uma Aprendizagem direcionada a Sustentabilidade humana (2017); Livros - Os lugares do Design na Leitura (2008), EAD online: entre suportes e sujeitos (2011) ; Nós do ensino (2013) e Design para uma educação inclusiva (2016). A base interdisiciplinar gera associações com os grupos: Sistemas simbólicos da mídia visual (PPG Artes-PUC-Rio); sujeitos, linguagens em trânsito: convergências, multiplicidades e adaptações (PPG Mídia e Cotidiano UFF).

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/38654

Livros, materiais, recursos e novas tecnologias em contextos de ensino aprendizagem

Líder do grupo – QP DAD: Jackeline Lima Farbiarz

O grupo resulta de 5 edições do Simpósio sobre livros didáticos de língua materna e estrangeira e 4 edições do Simpósio sobre materiais e recursos didáticos, de periodicidade bianual, cuja 1ª. edição ocorreu em 2007 na PUC-Rio. Envolvem cerca de 250 participantes entre professores das redes municipal, estadual e federal; pesquisadores de Letras, Design, Comunicação e Educação; bibliotecários; pedagogos; editores; escritores e ilustradores. Há apresentações de comunicações e pôsteres em GTs organizados pelos coordenadores adjuntos do evento, oficinas e sessões de plenária e mesa redonda. Os Simpósios têm mantido os objetivos de propiciar um foro interdisciplinar para discussão sobre a produção, uso e recepção de livros, materiais e recursos didáticos tanto na educação presencial quanto a distância.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/38294

Experiências e Ambientes Interativos

Líder do grupo – QP DAD: Luiza Novaes

O grupo está vinculado à linha de pesquisa Design: Tecnologia, Educação e Sociedade do Programa de Pós-graduação em Design da PUC-Rio. Tem como objetivo explorar experiências e ambientes interativos a partir de uma abordagem multi e interdisciplinar do design. Investiga possibilidades de aplicação do estudo em áreas diversas como educação, animação, museologia, design de interação, artes visuais, e saúde/medicina dentre outras.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/321324

Interfaces Físicas Experimentais

Líder do grupo – QP DAD: Luiza Novaes

O grupo está vinculado à linha de pesquisa Design: Tecnologia, Educação e Sociedade do Programa de Pós-graduação em Design da PUC-Rio e mantém parceria com o Laboratório de Interfaces Físicas Experimentais (LIFE) do Departamento de Artes e Design (DAD) da PUC-Rio. Tem como objetivo investigar o desenvolvimento prático-experimental de projetos de Design de Interação tendo como temas a Prática Reflexiva, a Computação Ubíqua e Interfaces Físicas (Physical Computing), voltados para a sociedade e o bem estar dos indivíduos.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/321304

GANDHIS - Grupo de Arte Narrativa e Design de História

Líder do grupo – QP DAD: Nilton Gonçalves Gamba Junior

O Grupo acompanha com estudos e pesquisa aplicada os projetos do Laboratório de Pesquisa do qual faz parte, o DHIS - Laboratório de design de histórias (antigo Ladeh). O Grupo administra o selo de publicações do laboratório que congrega três linhas de publicações - a ficcional, a teórica e a técnica. Realizamos há dois anos uma mostra internacional de Design de Personagens envolvendo países como China, EUA e México. Protugal na pesquisa aplicada, já geramos produtos para o Governo do estado do Rio de Janeiro através do projeto RED (Rio Estado digital), Realizamos espetáculos teatrais em parceria com a Companhia Nós Nos Nós de Circo-Teatro, incluindo prêmios como o Myriam Muniz de Teatro, Carequinha de Circo e Funarte de Interações Estéticas. O Grupo atua em projetos que ganharam prêmio FAPERJ como o de comemoração dos 450 anos da Cidade do rio de Janeiro.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/342870

Laboratório de Arte Eletrônica

Líder do grupo – QP DAD: Rejane Spitz

Pesquisas sobre Artes e Design relacionadas à tecnologia computacional e redes - sua inserção no universo do Design, seus impactos na sociedade brasileira e mundial, sua contribuição no âmbito educacional, e aspectos relativos ao seu potencial, usos e desafios - vêm sendo desenvolvidas pelo Grupo de Pesquisa "Laboratório de Arte Eletrônica" desde 1991, sob a coordenação da Profa. Dra. Rejane Spitz, com o apoio de associações internacionais tais como a ACM SIGGRAPH (Special Interest Group on Computer Graphics), sediada nos Estados Unidos, LEONARDO / ISAST (International Society for the Arts, Sciences and Technology), Estados Unidos, e ISEA (Inter-Society for the Electronic Arts), sediada na Gra-Bretanha, bem como de agências de fomento brasileiras, tais como FAPERJ, a CAPES e o CNPq.

Link: http://dgp.cnpq.br/dgp/espelhogrupo/5908

 

Cooperação Internacional (http://www.ctch.puc-rio.br/br/texto/17/cooperacao-internacional)

Red de Homólogos de Diseño e Innovación Social AUSJAL - Cooperação técnico-científica com foco no compartilhamento e desenvolvimento de pesquisas e projetos.

Criação da rede em Design e Inovação Social envolvendo as Universidades que oferecem o curso de Design na Rede AUSJAL (Asociación de Universidades Confiadas a la a Compañía de Jesús en América Latina). Para a consolidação da rede já foram produzidos diversos eventos, sendo o último sediado na PUC-Rio em 2018.

País: Colômbia – Ano: 2016

IADE - Faculdade de Design Tecnologia e Comunicação da Universidade Europeia - Intercâmbio entre laboratórios, participação em aulas/workshop na semana internacional.

Parceria relacionada ao LEUI (Laboratório de Ergodesign de Interfaces PUC – Rio) e atividades da Pós-graduação. As coordenadoras do LEUI, professoras Claudia Mont’Alvão e Manuela Quaresma, ministram um workshop na instituição portuguesa dentro da Semana Internacional de Design do IADE.

País: Portugal – Ano: 2017

University of Leeds - ITS Institute of Transport Studies - Co-tutela e intercâmbio em pesquisa.

Intercâmbio de pesquisa na iniciação científica do LEUI (Laboratório de Ergodesign de Interfaces PUC – Rio) sobre inteiração do humano com carros autônomos.

País: Inglaterra – Ano: 2018

 

PONTÍFICIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DO RIO DE JANEIRO
Rua Marquês de São Vicente, 255, Gávea
Rio de Janeiro, RJ - Brasil - 22451-900

CENTRO DE TEOLOGIA E CIÊNCIAS HUMANAS
Ed. Cardeal Leme - 10º andar – sala 1063
t. [55 21] 3527-1294 - f. [55 21] 3527-1296

PUC-RIO
Todos os direitos reservados
© 2016